Listas de transição/progressão na carreira docente

Têm estado a ser remetidas às escolas do sistema educativo público da Região as listas respeitantes à transição/progressão na carreira dos docentes do quadro, que não deixam de ser listas parciais, por virtude de nelas somente constarem os professores e educadores de infância que a 31 de dezembro de 2010 detinham o tempo de serviço suficiente para serem integrados num escalão e índice remuneratório distinto daquele em que se encontravam.
O Sindicato Democrático dos Professores dos Açores continua a reclamar ser um direito dos docentes dos quadros das escolas da Região conhecerem a situação que a cada um respeita quanto ao seu posicionamento em carreira, decorrente da plena concretização do processo de transição da anterior para a nova estrutura da carreira docente – no cumprimento do determinado no artigo 4.º do Decreto Legislativo Regional n.º 25/2015/A, de 17 de dezembro, que continua por realizar –, e de integração na carreira dos professores e educadores de infância que vincularam nos dois últimos anos.

O SDPA aconselha os seus associados a procederem à verificação atenta da correção da informação que a cada um respeita, nomeadamente quanto ao grau académico mencionado, ao tempo de serviço e ao respetivo posicionamento efetuado no escalão e índice, reconhecidos até 31 de dezembro de 2010, assim como no que concerne ao tempo de serviço que cada um terá ainda de perfazer no novo escalão e respetivo índice em que foi reposicionado, respeitantes à nova estrutura da carreira docente, de dez escalões.

A Direção aos 21-03-2018